Quer resultados mais positivos para sua criação de peixes? Realize manejo em fases.

Muitas pessoas praticam piscicultura de uma maneira intuitiva. Outras são mal orientadas pelo fornecedor de alevinos. E muitas, não possuem instalações adequadas para manejar seus peixes e acabam realizando a engorda, da seguinte forma: soltam seus alevinos nos viveiros, na densidade final e os alimentam diariamente, até o abate.

Isso dá certo? Dá!  Mas dá pra melhorar..

O resultado dessa prática, na maioria das vezes é um lote com poucos peixes  grandes (15-25%), uma maioria em tamanho mediano (50-70%) e uma parcela considerável de peixes pequenos (15-25%), abaixo do padrão de abate.  Este  crescimento não-uniforme, ocorre em praticamente todas as espécies de peixes cultivados.

Isso ocorre porque na grande maioria das espécies, existe dominância por parte de um grupo de alevinos mais agressivos, que logo se tornam os maiores peixes do lote. Isso graças à sua eficiência e agilidade na busca do alimento. Estes peixes acabam dominando a parte do viveiro onde é realizado o fornecimento de ração. E desta forma, impedem que os peixes menores consigam se alimentar.

Uma maneira de melhorar significativamente os resultados, é o uso da técnica de produção denominada “manejo em fases” ou “cria, recria e engorda”.


O conceito do manejo em fases é simples:

Consiste em separar os peixes em viveiros diferentes, por tamanho e densidades sugeridas para cada fase.

Este modelo também é uma ferramenta para otimizar a produtividade da piscicultura, pois  podemos utilizar densidades maiores por área, próximas à capacidade suporte, durante determinado período de produção (fase).

Em geral, a alevinagem começa com maiores densidades, com diminuição gradativa nas fases seguintes. Para sua segurança, utilize sempre as densidades recomendadas nos nossos informativos ou as sugeridas pelo seu responsável técnico.

Este conceito de produção em fases, pode ser aplicado em quase todos os sistemas de produção (viveiros escavados, gaiolas, raceways e sistemas de recirculação). E é sugerido para todas as espécies de peixes produzidas no Brasil.

O número de manejos por ciclo vai depender do número de viveiros, gaiolas ou raceways  disponíveis, e também da disponibilidade de mão de obra.  Usa-se em geral de 2 à 3 manejos por ciclo.  E é importante ressaltar, que os manejos requerem planejamento e devem minimizar os fatores de estresse e respeitar o bem estar animal, para que não ocorram grandes mortandades.

.

O manejo em fases apresenta diversos benefícios:

- Durante a primeira fase, as densidades maiores promovem o aprendizado dos alevinos na busca pelo alimento.

- Há redução do custo de produção, já que o alimento fornecido é aproveitado por todo o lote;

- Importante no controle do canibalismo em espécies carnívoras como o dourado, tucunaré, grandes bagres.

- Evita os descartes de peixes, abaixo do tamanho de abate, ao final da produção;

- Otimiza a utilização da infraestrutura, podendo ter um incremento da produtividade total.

- Tornam as previsões sobre os estoques mais seguras, evitando surpresas na despesca final e comercialização.

- Resulta em uniformidade de tamanho na entrega, bem vista pelos compradores. Sejam eles do frigorifico, varejo ou pesque e pagues.

.

Agora que você conheceu este conceito, tente adaptar essa ideia à sua realidade. Avalie se você tem disponibilidade de infraestrutura (viveiros suficientes), equipamento disponível e mesmo se os custos com a mão de obra necessária para a realização do manejo, não inviabilizam a operação.  Planeje cuidadosamente todos os detalhes.

Algumas dicas e sugestões que podem ajudar:

- Para espécies nativas, que possuem ciclo longo (12 à 14 meses), realize manejos à cada 90 dias e entre com peixes de 400 a 500 g para densidade final.

- Os classificadores podem facilitar o processo, entretanto a seleção visual pode ser bastante eficiente. Não se esqueça de contabilizar sua estocagem. Conte quantos peixes de cada tamanho, foram estocados em cada viveiro. Vai ser importante para calcular a quantidade de ração que deverá ser fornecida durante a produção.

- Caso você tenha poucos viveiros, ao invés de separar seus peixes em pequenos, médios e grandes, você pode optar por dividi-los em dois tamanhos ou mesmo abater os peixes maiores caso eles já tenham peso adequado pra venda. Assim você já consegue minimizar parte dos impactos da competição do seu lote.

 

Bem, acho que é isso. Em uma próxima oportunidade, darei dicas para planejar uma despesca e minimizar os fatores de estresse durante os manejos.  =]

Comments on: "Quer resultados mais positivos para sua criação de peixes? Realize manejo em fases." (5)

  1. [...] fazer a negociação, sem saber o qual sua real produção (leia aqui sobre manejo em fases). É muito desagradável ao comprador, ir até a propriedade e encontrar os peixes e o lote com [...]

  2. Edson Farias de Oliveira said:

    Bom dia!

    Por gentileza, me envie o preço das seguintes redes para despesca de tanques escavado:

    30m comp X 2m altura x 20 mm malha ( fio 210/18 )

    40m comp X 3m altura x 40 mm malha ( fio 210/18 )

    40m comp X 3m altura x 50 mm malha ( fio 210/18 )

    Obs1: pode ser outras dimensões de fio que melhor enquadre a dimensão de malha.

    Obs2: Se possível calcule o preço do frete via transportadora para Boa Vista – Roraima ( CEP 69309-014)

    Atenciosamente,

    Edson
    edsonfariasrr@gmail.com

  3. Carlos Fávaro said:

    preciso de uma rede de 15 mt comp, em tecido sem nó, 5mm de malha, alt. 2m, pronta ou só o panos

    seria bom ser com funil?

    também saber preço e se é o material correto para manusear minhas matrizes depois das desovas para outro tanque e deixar as pós larvas para trás sem machucar, pois estou iniciando uma criação de lambari para isca em tranques de 20x10m e utilizo sistema de desova natural com rodizio de matrizes e sistema de recria semintencivo

  4. Ola. Gostaria de saber o preco de tanques redes e se voces tem?

Leave a comment for: "Quer resultados mais positivos para sua criação de peixes? Realize manejo em fases."

Navegue por palavra-chave