Uma saída mais justa para o Pirarucu

O Pirarucu é um dos peixes de água doce, mais explorados pela pesca no Brasil. Ele está entre as espécies de maior porte, chegando a medir 3 metros e  pesar 200kg. Possui alto valor comercial e é muito vulnerável à pesca. E, se não está entre os mais explorados em volume, com certeza está entre os mais suscetíveis à extinção.

Uma verdadeira ironia, já que a espécie vêm há  pelo menos 200 milhões de anos*,  modificando suas estruturas e se adaptando para a perfeita sobrevivência.  O mais belo exemplo de adaptação do pirarucu talvez seja a sua couraça de espessura considerável ( 2cm) e escamas de grande porte,  que formam uma blindagem resistente contra predação.

E ele também carrega sutilezas da vida pré histórica, como a respiração atmosférica, decorrente do surgimento dos primeiros repteis (os peixes que saíram das águas – no Paleozóico). E por que não dizer isso também sobre sua aparência?

Com certeza não foi fácil chegar até aqui, enfrentando os grandes carnívoros das eras Cenozóica e Mesosóica.  Mas certamente,  os últimos 300 anos de exploração humana e os ultimos 50 anos onde se explora volumes industriais desta espécie, serão ser fatais ao pirarucu e poderão levá-lo à completa extinção.

Como animal carnívoro, tem grande importância ecológica na regulação dos estoques de pequenos peixes como o tamoatá. E é claro.. importante socialmente, pois possibilita a sobrevivência daqueles que vivem da pesca na Amazônia.

Muitas ações tem sido realizadas para proteção desta espécie desde a década de 40. Mas nos últimos 10 anos, a piscicultura tem tido um olhar criterioso sobre a espécie e grandes investimentos estão sendo realizados para viabilizar sua produção e promover o consumo sustentável de carne de pirarucu.

Na ultima semana, o Projeto Estruturante Pirarucu da Amazônia, desenvolvido pelo Sebrae e parceiros na Região Norte, disponibilizou na internet, para download um “Manual de Boas Praticas para Reprodução do Pirarucu”.

O Sebrae, como sempre está de parabéns! Pois além de promover a melhoria e aumento da produção, através da difusão de tecnologia, certamente este trabalho logo apresentará resultados sociais concretos, através da geração de emprego e renda para populações tradicionais.

Baixe o documento você também e saiba mais sobre a produção de alevinos de pirarucu!

(*) o pirarucu apresenta grandes similaridades genéticas com o Heterotis linoticus, que hoje é encontrado no continente africano.  Isto sugere que ambas tiveram origem comum, de uma mesma espécie,  ainda na Pangea.

Comments on: "Uma saída mais justa para o Pirarucu" (1)

Leave a comment for: "Uma saída mais justa para o Pirarucu"

Navegue por palavra-chave